Páginas

terça-feira, 10 de abril de 2012

NA REDE PARA TE ENREDAR


 



Este poema dedico as gêmeas Natália e Nadine Dutra, que de tanto navegarem me fizeram assim um Argonauta da rede. E que de meninas em mulheres vão se transformando e de encato meu velho coração vai se encantar.





NA REDE PARA TE ENREDAR

   Onde está aquela menina?
   Que me olhava tão intensamente
   Se foi sem deixar um endereço de e-Mail
   Me fazendo viajar distante,
   Quão distante está teu olhar.

   E agora em-Meio ao som do coração que de ela chama
   Aplaca sua dor na imagem que ficou em mente.
   Onde está?
   Onde está?
   Aquele meigo afago do olhar que tu  tinhas
   Fazendo assim me envolver,
   No mover de tuas mãos
   Quando em breves afagos teus negros cabelos
   Delirantes ao vento
   Me acenavam em ondas várias.

   E agora onde posso novamente te encontrar?
   Será que o tempo este carrasco insano
   Me fará entorpecer de desejo em te desejar.
   E diante desse louco...
   Me vou assim na rede te enredar.

Leonardo de Souza Dutra

3 comentários:

  1. Muito bem bolado o jogo de palavras. Gostei muito. Parabéns ao poeta e as gêmeas lindas que o inspiraram.

    ResponderExcluir