Páginas

domingo, 27 de novembro de 2011

SERENA MELODIA




SERENA MELODIA

Serena melodia
Que a harpa
Em tom
Ardia.

Da mão que alma
Se fazia
Do estranho
Som...

Que da harpa
Em arma
Minh’alma tecia.

Era o tom
Er’alma
Que a harpa
Os fundia.

Da serena
Sereno tom
Da mão
Cada corda
Tecia...

Leonardo de Souza Dutra



RUGAS


 


               







                    RUGAS

Quero de velhice me arrebentar
E me arrebatar nos meus mais de noventa
Ficar tão amassado
Como papel amarrotado
Num cesto qualquer.

Quero de velhice
Enlouquecer meu geriatra
Que por trás daquela bata
Se debata por entender,
E que o neto de meu neto
Ainda me chame de amigo
Assim que vou ficar. 


Leonardo de Souza Dutra